802 Águias


Como combinado lá estávamos, na porta de armas da BA1 á hora certa, onde o Capitão Nuno Paixão já aguardava, e após alguns ajustes técnicos, seguimos até à esquadra 802.



Ao chegarmos, depois de um pequeno briefing do que ia ser feito, lá estavam eles, a brilhar ao sol... 3 belos Chipmunks, aguardavam os seus instrutores para se fazerem aos céus.



Uma máquina cheia de histórias, horas de voo, momentos de felicidade e também, por vezes alguma frustração.







O DHC-1 Chipmunk entra ao serviço na FAP nos princípios da mesma, em 1952 transitando da Aeronáutica Militar que tinha adquirido 10 aviões à Grã-Bretanha em 1951.
Veio então substituir o antigo biplano TigerMoth, que já equipava as esquadras de instrução de vários países desde 1932.
Actualmente com 62 anos, após a sua renovação de motores e estrutura o mesmo continua a voar, mantendo o seu legado e com ar de quem tão cedo não se quer reformar! Afinal de contas a reforma não é aos 65?




A Esquadra 802 Águas está sobre o comando do Sr. Major Natalino Pereira e tem a missão de efectuar os estágios de selecção de voo aos candidatos à Academia da Força Aérea. Bem como, ministrar a instrução elementar em Chipmunk MK-20 e planador (Blanik e ASK-21) aos alunos da especialidade de piloto aviador da Academia da Força Aérea.

Major Natalino Pereira

As suas instalações eram a antiga casa dos Asas de Portugal - entre 1963 e 1992 - bem como dos 502 - Elefantes - entre 1993 e 2008. Finalmente em 2009 entraram neste espaço cheio de história, os históricos Chipmunks, quase que diria um casamento perfeito!







Após uma visita guiada pelo Sr. Major Pereira, conhecemos os cantos à casa, desde as salas de briefing, sala do aluno, espaços dedicado a planeamento e o simulador. Sim, ele existe!



Este ultimo o belo simulador tem uma história (quase tudo o que envolve o Chipmunk tem), foi um projecto de mestrado do curso da Academia que após muitas horas de estudo e trabalho, criaram este simulador de voo com base no X-plane. Totalmente funcional usando a base de um Chipmunk abatido (OGMA18 - 1328).



O mesmo ainda é usado para testes, investigação por parte do curso bem como voos com os cadetes em fase de selecção.

Saindo da esquadra fomos conhecer onde tudo é mantido, o hangar de manutenção. 



Aqui alinhados do lado direito estão os Chipmunks, aqueles velhos do céu alcunhados de stuka, devido ao seu som característico em picado. Do outro lado podemos ver os mais recentes EPSILON-TB 30 frente a frente como se para um duelo se preparassem. 


A Manutenção é feita inteiramente dentro da esquadra, com a ajuda de uma equipa de mecânicos e técnicos qualificados e já com muitas horas de chipmunks. Aqui fazem desde pequenas reparações, chaparia, motores, estrutura, enfim... manutenção completa. Como podem ver na foto aqui não falta nada!


E a claro não podia faltar a história, neste caso no bar dos MMAs, com este belo exemplo de restauro de um nariz e hélice do velho Chip.


Enfim depois de um dia assim a conhecer este maravilhoso avião, bem como todos os que o mantêm operacional, o que podemos dizer para concluir?
Uma coisa é certa, ainda falta muito por dizer deste avião, muito mais história para contar e pilotos para formar!

Um Obrigado à Força Aérea, à esquadra 802, ao comandante Major Pereira pelo tempo dispensado à nossa visita. E um obrigado ao Capitão Nuno Paixão, (relações públicas FAP) pelo apoio nesta visita.


 

Fale connosco

Newsletter

Licença de Utilização

Facebook